Iluminação Eficiente

Blog de especialistas da EXPER

 

Iluminação Eficiente

Blog de especialistas da EXPER

 

Preocupações nos retrofits com LEDs – parte 2

Uma solução atualmente buscada para economizar energia e reduzir as manutenções em instalações comerciais é a substituição de lâmpadas fluorescentes tubulares pelas lâmpadas tubulares de LED. A simples substituição de lâmpadas em retrofits, entretanto, precisa ser elétrica e fotometricamente analisada, pois as mudanças de equipamentos podem trazer alterações não esperadas no ambiente.

 

Visando analisar possíveis impactos na iluminação foram realizadas as fotometrias de duas luminárias bastante utilizadas em ambientes comerciais: luminárias com aletas planas brancas para duas lâmpadas fluorescentes de 32W e luminárias com aletas parabólicas em alumínio anodizado brilhante para as mesmas lâmpadas. Utilizando-se as mesmas luminárias, foram substituídas as lâmpadas fluorescentes tubulares e reatores eletrônicos, por lâmpadas tubulares de LEDs de 22W.

 

Atualmente existem diversas lâmpadas de LED deste tipo, com características elétricas e fotométricas bastante diferentes como já relatado no artigo de junho de 2011. Para essa análise foram escolhidas lâmpadas com distribuição homogênea, por considerá-las mais adequadas a este tipo de luminária, uma vez que propiciam menor grau de ofuscamento visual.

 

Aparentemente com esta alteração uma economia de energia superior a 30% é atingida, porém observa-se que o comportamento fotométrico da luminária é bastante alterado. As figuras 1 e 2 ilustram essa comparação para as luminárias de aletas planas brancas e parabólicas em alumínio brilhante respectivamente.

 

Observa-se claramente que ocorre alteração da curva de distribuição luminosa e significativa redução das intensidades luminosas. Estas alterações por sua vez impactam na alteração da uniformidade do projeto e na redução do nível de iluminância do ambiente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Figuras 1: Luminária com aletas planas brancas (esquerda); curva de distribuição luminosa da luminária com duas lâmpadas fluorescentes tubulares de 32W (centro) e com duas lâmpadas tubulares de led de 22W. (direita)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Figuras 2: Luminária com aletas parabólicas (esquerda); curva de distribuição luminosa da luminária com duas lâmpadas fluorescentes tubulares de 32W (centro) e com duas lâmpadas tubulares de led de 22W(direita).

 

 

Analisando-se os fluxos luminosos totais e eficácia luminosa dos conjuntos conclui-se que as luminárias com lâmpadas de LED possuem maior eficácia luminosa que as luminárias com lâmpadas fluorescentes tubulares, porém os fluxos luminosos dos conjuntos com LEDs são significativamente inferiores. Isto significa que em uma situação de retrofit, sem alteração da quantidade de luminárias, os níveis de iluminância seriam reduzidos em aproximadamente 23%-25% com as lâmpadas de LEDs analisadas em questão.

 

Tabela 1: Comparação dos fluxos luminosos totais de cada conjunto e da eficácia luminosa

 

 

Essas mudanças em instalações antigas podem eventualmente não ser notadas logo após a substituição, pois geralmente as lâmpadas fluorescentes já se encontram depreciadas. Porém se comparadas em instalações com lâmpadas novas a diferença será perceptível.

 

Outra questão a ser considerada posteriormente durante a vida da instalação é a depreciação do fluxo luminoso. Em lâmpadas fluorescentes tubulares espera-se uma depreciação do fluxo durante sua vida útil de 10%. Nos LEDs convencionou-se uma depreciação de 30% para definição da vida útil. Esta depreciação pode ocorrer mais  lenta ou rapidamente em função do tipo de led utilizado e das condições de alimentação e dissipação de calor do produto. Assim a durabilidade do produto de LED  é outro fator de significativa importância para a qualidade e eficiência do retrofit.

 

A existência lâmpadas de LEDs de diversos níveis de qualidade no mercado brasileiro, a ausência de normas nacionais específicas e a escassez de informações técnicas por parte dos fabricantes/importadores acabam trazendo insegurança para os especificadores.  Assim os laboratórios de ensaio exercerão importante papel para verificação da qualidade dos produtos. Para tanto, esforços serão necessários por parte dos especificadores e dos programas de etiquetagem do Procel / Inmetro para que os produtos de LED sejam regulados.

 

A evolução da tecnologia LED vem ocorrendo de forma bastante rápida e sem dúvida esta tecnologia não é mais futuro e sim presente. Porém cautela é necessária para que a eficiência e a qualidade da iluminação sejam realmente obtidas.

 

 

 

 

Please reload

Posts em destaque

Nova Portaria para certificação de lâmpadas de LED é publicada

05.04.2018

1/2
Please reload

Novos Posts

13.04.2018

Please reload

Procure por Tags