Iluminação Eficiente

Blog de especialistas da EXPER

 

Iluminação Eficiente

Blog de especialistas da EXPER

 

O banimento das incandescentes e entrada dos leds

O processo de banimento de lâmpadas incandescentes no Brasil atingiu mais uma etapa no último dia 30 de junho.

A partir desta data, nenhuma lâmpada incandescente comum acima de 100W de potência (150W, 200W, 300W e 500W) poderá ser comercializada. E a partir dessa data as lâmpadas acima de 60W até 100W, não poderão ser mais fabricadas ou importadas.

 

Este processo faz parte da Portaria 1007, de 31/12/2010, que estabelece as fases de banimento em função da eficácia mínima dos produtos e estabelece o banimento das incandescentes comuns no Brasil até 2017.

 

As lâmpadas incandescentes, como conhecido é uma fonte luminosa com baixíssima eficiência energética.  Apenas 5% da energia consumida é transformada em luz e o restante em calor. Como já vem acontecendo, estas lâmpadas vem sendo substituídas pelas lâmpadas fluorescentes compactas eletrônicas, com potências cerca de um quarto das incandescentes com fluxos equivalentes e vidas cerca de 6 a 10 vezes maior.

 

Esta substituição embora economize energia traz consigo alguns inconvenientes da tecnologia fluorescente, tais como: redução da vida da lâmpada em função de muitos acendimentos, presença de mercúrio na sua composição, o que gera necessidade de um descarte correto do produto e futuramente incrementos do preço em função de programas compulsórios de logística reversa que esse tipo de lâmpada deverá passar.  Fora isso, inconvenientes de aumento de reativos e distorção harmônica nas redes elétricas e redução da reprodução de cor quando comparadas às incandescentes.

 

Favoravelmente temos a economia de energia para os usuários e a redução de demanda para as concessionárias, com consequente redução da conta de energia para os primeiros e redução de investimentos necessários para construção de novas usinas para geração de energia elétrica.

 

A tendência, entretanto, é que com o tempo as lâmpadas fluorescentes compactas também sejam substituídas pelas lâmpadas de led. No Japão, boa parte das lâmpadas incandescentes já foi substituída diretamente pelos leds.

A tecnologia led possui a vantagem de ser ainda mais econômica em termos de consumo de energia, possuir vidas maiores, não propiciar problemas ambientais por não conter mercúrio em sua composição e não sofrer com as partidas de acendimento.

 

Além disso, com o avançar da tecnologia, os produtos vem se tornando cada vez mais eficientes, com desempenhos cromáticos cada vez melhores e com reduções expressivas de preço a cada ano.

 

Um problema atual, entretanto, está na oferta cada vez maior de produtos, sem critérios para uma avaliação do desempenho e segurança. Hoje estima-se, segundo a Eletrobras, a presença de 2000 modelos de lâmpadas led disponíveis. Cada vez mais produtos, de qualidades diversas estão disponíveis para o mercado, que em breve não terá mais a opção de compra das baratas incandescentes. Com isso as versões mais acessíveis de produtos leds aparecem como opção. O que nem sempre pode ser uma vantagem para o consumidor, visto a presença de muitos produtos de baixo desempenho.

 

Visando regular este mercado, ocorreu no dia 04 de julho a segunda reunião para avaliação da capacitação laboratorial para iluminação a led, coordenada pela Eletrobras e Inmetro. Com o objetivo de obter subsídios para o desenvolvimento dos Programas do PBE, Selo Procel Eletrobras e a Lei de Eficiência Energética para lâmpadas e luminárias led, representantes de laboratórios, das associações Abilux e Abilumi e de fornecedores discutiram sobre os processos para avaliação dos produtos.

 

Segundo Inmetro, pretende-se que lâmpadas e luminárias públicas de led tenham certificação compulsória. Contudo  muita discussão ainda deverá ocorrer até que todos os detalhes estejam definidos. A Abilumi (Associação Brasileira de Importadores de Produtos de Iluminação) ficou de encaminhar uma proposta de Portaria para as lâmpadas de led e a Portaria para luminárias públicas deve entrar para consulta nacional dentro dos próximos meses. Com isso espera-se exigir requisitos mínimos de desempenho e segurança para os produtos de led e obter uma segurança maior para dos compra de produtos.

 

 

Please reload

Posts em destaque

Nova Portaria para certificação de lâmpadas de LED é publicada

05.04.2018

1/2
Please reload

Novos Posts

13.04.2018

Please reload

Procure por Tags